Filocalia

em 2012, a editora "É realizações " estava com o projeto da coleção Matese, do escritor Mário Ferreira dos Santos, e solicitou a criação da marca e o design da coleção .

 

nesta época a parceria entre a "wollner designo e a dgi design", já consolidada, foi incumbida de realizar o projeto.

a palavra Philokalia significa “amor do belo”, essa beleza divino-humana sobre a qual Denys lÁéropagite, dia que “suscita toda comunhão’ entretanto, de forma mais prosaica, na época em que a obra foi composta, a palavra significava também antologia ou florilégio.

 

é de fato uma  vasta recopilação, não passagens, mas tratados integralmente transcritos e que constituem ”a escola mística da prece interior”.

a Filocalia foi publicada -em grego- em Veneza em 1782, o livro cristão não podia ser impresso no Império otomano.

 

a sua redação está ligada a uma nítida renovação espiritual que ocorria então no mundo helênico e na Moldávia, e baseava-se numa retomada de consciência da teologia, da espiritualidade e da vida sacramental ortodoxas.

na antiguidade clássica, as colunas dos templos dóricos, jônicos e coríntios permitiam captar impressões diferenciadas do mesmo Heletismo antigo: uma visão geral expressiva e harmônica com variedades nas formas de manifestação, com  suficientes, carac-terísticas marcantes.

 

as particularidades distintas são quase exclusivamente determi-nadas pelo capitel e pela base das colunas.

 

de maneira  comparativa, na escrita, as serifas* contribuem de forma essencial para a sua característica.

letras "A" e "I" da família Corporate E  de Kurt Weiderman com variadas proporções em (1, 1, 2, 3, 5, 8, 13, 21...) segundo Fibonacci (proporção áurea).

a coluna corintia tornou-se estímulo para a Antiqua (A), a jônica para a serifada (S) e a dórica para para a Egyptienne (E), marcadamente   serifada.

 

nos templos, podem-se encontrar reiteradamente as dimensões, também existentes na natureza, da proporção áurea. (o segmento A-B está para o segmento B-C assim como B-C está para o todo).